Um dia, um menino do Jardim da Infância, cansado de esperar por sua mãe, pediu para um rapaz – que buscara a sua irmãzinha – para que o levasse para sua casa.

Vendo a aflição do menino, o rapaz resolveu ajudá-lo. Porém, ao invés de levá-lo para a casa do menino, entregou-o para uma senhora.

Essa senhora levou o menino para uma residência e ofereceu a ele um copo d’água. O menino sentiu um gosto adocicado naquela água, mas mesmo assim, ele bebeu com muito gosto porque era a primeira vez que havia bebido água com açúcar.

Depois disso, aquela senhora deu a sua mão para o menino e caminhou com ele pela rua. Após alguns minutos de caminhada, logo adiante o menino viu algumas pessoas alvoroçadas e tensas.

E percebeu que uma dessas pessoas era a sua mãe. E vendo-o, ela correu desesperada até o seu filho, abraçando-o.

Esse menino era eu. E até hoje eu nunca soube o nome daquela senhora e nem daquele rapaz.

Se você gostou da minha história real, então compartilhe: quem sabe essa história poderá chegar até os meus salvadores, meus samaritanos queridos…


Leia também mais 3 Artigos:

📃 Curso Pacote Office: meu emprego foi salvo porque eu sabia Excel.

📃 Resenha do Porão Literário sobre o livro “O Balanço da Pena”.

📃 Ausência Paterna: o que a sua carência pode causar nos filhos sem pai?

Deixe um comentário